O que é sustentabilidade?

Nunca antes se ouviu falar tanto nessa palavra quanto nos dias atuais: Sustentabilidade. Mas, afinal de contas, o que é sustentabilidade?

Etimologicamente, a palavra sustentável possui as suas origens  no latim “sustentare” , que tem como significado sustentar, apoiar e conservar. Sustentabilidade relaciona-se intimamente com uma mentalidade, atitude ou estratégia que é ecologicamente correta,  viável e exequível no âmbito econômico, bem como socialmente justa e com uma diversificação cultural.

É um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, com a missão de não comprometer ou por em xeque o futuro das próximas gerações. Está diretamente atrelada ao desenvolvimento econômico e material sem a necessidade de agredir o meio ambiente, fazendo uso dos recursos naturais de forma inteligente e criativa, para que eles se mantenham no futuro.

Atualmente, o termo é bastante difundido para designar o bom uso dos recursos naturais da Terra, como a água, as florestas e etc.

E o que isso tudo pode significar na prática?

Trazendo a discussão para o nosso cotidiano, parto do seguinte pressuposto: Ora, se eu posso derrubar uma árvore, uma vez que eu quero construir minha casa naquele local, devo criar a consciência de poder também plantar algumas outras para que meus descendentes usufruam, anos depois, de fruta e sombra num dia de sol.

A ideia central é que é possível prosseguir vivendo e nos desenvolvendo, de modo com que haja uma continuidade e equilíbrio em relação aos recursos disponíveis. A verdade é que, tudo o que se retira – se não repusermos – Em algum momento irá acabar. Desse modo, devemos oferecer ao planeta tanto quanto retiramos dele.

Estabelecer uma relação economicamente viável com o mundo também é uma das ideias, referentes a ser sustentável. Trabalhar e prospectar parcerias com quem está perto da gente é melhor. Além de contribuir para o desenvolvimento regional, também favorece o equilíbrio de todo o meio ambiente à sua volta.

Benefícios de adotar uma postura sustentável

Adotar ações sustentáveis proporcionam uma garantia, a médio e longo prazo, de um planeta em condições interessantes para que as diversas formas de vida continuem a se desenvolver, inclusive a espécie humana. Também garante a não escassez de recursos naturais para as futuras gerações, o que possibilitará a manutenção dos recursos naturais, garantindo, assim, uma boa qualidade de vida para as gerações vindouras.

A sustentabilidade pode ser mensurada como a capacidade de conservar o capital natural, dar condições para que ele se refaça e, por intermédio da inteligência humana, possa se enriquecer para as futuras gerações. Deve servir de critério para a mensuração de nosso progresso, ou não, rumo à sustentabilidade, servindo igualmente de ideia-geradora para aplicação desse conceito nos mais variados campos da atividade humana. Para alguns parece ser um discurso utópico mas, sem isso, falar sobre sustentabilidade cai no lugar comum de ser pura retórica sem consequências.

Deve-se integrar esta postura aos processos que podem manter-se e melhorar ao longo do tempo. Em contrapartida a insustentabilidade comanda processos que se esgotam, não se mantêm e tendem a morrer. E isto depende não apenas das questões ambientais. São igualmente fundamentais os aspectos sociais, econômicos, entre outros.

É muito simples encontrar diferenças entre sustentabilidade e insustentabilidade. Os exemplos a seguir ajudam a compreender um pouco tais diferenças.

  • Consumir indiscriminadamente os recursos naturais não é sustentável. Reciclar e evitar desperdícios são sustentáveis.
  • Entupir as cidades de carros é insustentável. Optar pelo transporte coletivo e de bicicletas é sustentável.
  • Poluição é insustentável. Ar e águas limpos são sustentáveis.
  • Cidade comandada pela especulação imobiliária é insustentável. Cidade planejada para que seus habitantes tenham moradia digna, trabalho, serviços e equipamentos públicos por perto e funcionando a contento é sustentável.
  • Corrupção é insustentável. Ética é sustentável.
  • Ditadura e autoritarismo são insustentáveis. Democracia é sustentável.
  • Desigualdade é insustentável. Justiça social e oportunidade para todos é sustentável.
  • Baixos indicadores educacionais são insustentáveis. Educação de qualidade para todos é sustentável.
  • Solidariedade é sustentável. Individualismo é insustentável.
  • Sociedade que maltrata crianças, idosos e deficientes não é sustentável. Sociedade que cuida de todos é sustentável.

Em suma, para que consigamos vivenciar a sustentabilidade de maneira plena, faz-se necessário contar com a seriedade e o acompanhamento das autoridades e entidades ambientais, bem como garantir instrumentos fiscalizatórios e punitivos eficientes através de leis claras. Tais procedimentos darão ao conceito de sustentabilidade uma forma e um poder agregador de ideias e formador de opiniões ainda muito maior do que já existe nos dias atuais, causando um efeito multiplicador e sendo um dos gatilhos para a verdadeira mudança da sociedade.

De uma maneira simples, garantir a sustentabilidade de um projeto ou de uma região determinada nada mais é do que dar garantias de que, mesmo explorada, essa área continuará a prover recursos e bem-estar econômico e social para as comunidades que nela vivem por vários ciclos de gerações. Mantendo a força vital e a capacidade de regenerar-se mesmo diante da ação contínua e da presença atuante da mão humana.

Pense nisso!

Giorgio Leonel

Giorgio Leonel

Engenheiro de Produção e Professor

Idealizador do ideiando.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *